quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

SÔNIA, SONORA SONHADORA
















Título: Sônia, sonora sonhadora
Autora: Neusa Santana
Editora: Espaço Acadêmico (Goiânia)
Estante: Literatura Brasileira (romance)
Ano: 2016
Dimensões: 15 cm x 21 cm
Encadernação: Brochura
Orelhas: Sim. Comentário crítico de minha autoria (Ricardo Alfaya)
Idioma: Português
ISBN: 978-85-69818-36-6
Páginas:  146 p.
Peso: 234 (gr)
Estoque: 2
Estado: Novos, sem uso.
Cadastrados em: 25.01.2017
Observação: Prefácio do escritor Márcio Catunda
Preço:  R$ 23,65 + R$ 5,35 (frete para todo o Brasil) = R$ 29,00

Descrição: Exemplares novos, sem uso, sem nomes manuscritos, em nenhum dos dois constando dedicatória. Edição primorosa da Espaço Acadêmico, de Goiânia-GO. // Neusa Santana é uma escritora natural de Trindade-GO, nascida em 1951, há muitos anos residindo em Goiânia-GO.  “Sônia, Sonora Sonhadora” é o seu terceiro livro e primeiro romance, sendo as duas outras obras de poesia.  O livro foi lançado em dezembro do ano passado, 2016.  Fiz a revisão e o comentário das orelhas, intitulado “Romance Cubista”, título que empreguei pela original técnica narrativa utilizada pela autora. Por meio dela, Neusa conta as partes essenciais e significativas da vida de sua personagem Sônia, mulher de extrema sensibilidade, conforme observa Márcio Catunda no prefácio à obra.  O romance oferece também um consistente relato sobre o modo de vida tanto em Goiânia quanto em cidades da área rural do Estado de Goiás, sobretudo no período que vai do início dos anos 50 ao início dos anos 90 do século XX.  Aliás, sente-se a forte influência da igreja católica na vida da comunidade.  Inclusive, um dos comentários inseridos no livro é uma interessante parábola, intitulada “O Pequizeiro”, assinada pelo Padre Ângelo Licati.  A obra mostra também uma forte oposição entre a vida no campo e a vida nas áreas mais urbanizadas.  Realizando um autêntico canto à natureza, a autora faz do campo uma metáfora do paraíso perdido, quando as contingências da vida obrigam sua protagonista a partir para cidade.  Uma experiência difícil, sem dúvida, vivida por muitos brasileiros. E que ninguém se engane.  Apesar dos aspectos formais da narrativa evocarem técnicas cubistas, dela emergirá um retrato humano e consistente da protagonista, foco absolutamente central do romance.  Por sinal, uma obra de leitura agradável e envolvente, pois Neusa escreve, sobretudo, com despojamento e emoção.  Merece destaque ainda a parte final, composta por um diário, que estabelece um contraponto de prosa poética à narrativa do romance.  Aliás, desse diário foram extraídos os belos dizeres que se acham na quarta capa (ver acima). (Ricardo Alfaya)

* Clique sobre as imagens para apreciá-las com maior nitidez.  Inclusive, para ler os dizeres da quarta capa.

* Você pode comprar por depósito em conta ou transferência bancária. Pedidos: alfayalivreiro@gmail.com


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

PRODUÇÃO DE ALIMENTOS NO SÉC. XXI
















Título: Produção de Alimentos no Século XXI: biotecnologia e meio ambiente
Autor: Gordon Conway
Editora: Estação Liberdade (São Paulo)
Estante: Ecologia
Ano: 2003
Dimensões: 16 cm x 23 cm
Encadernação: Brochura
Orelhas: Sim. Esquerda, resenha da obra. Direita, foto e dados do autor.
Idioma: Português
Tradução: Celso Mauro Paciornik
ISBN: 85-7448-083-5
Páginas: 375 p.
Peso:  635 (gr)
Estado: Novo.
Estoque: 1
Cadastrado em: 24.01.2017
Preço:  R$ 15,70 + R$ 9,30 (frete para todo o Brasil) = R$ 25,00

Descrição: Livro novo, sem qualquer sinal de uso.  Embora de 2003, as laterais mantiveram-se claras, sem amarelados ou marcas de oxidação.  Adquirido em livraria para revenda, único dono.  Sem carimbos, furos ou rasgos. Excelente aspecto. // Transcrição parcial dos dizeres da orelha esquerda da obra: “A Revolução Verde, dos anos 60 e 70 do século XX, foi um êxito excepcional. O uso pelos agricultores de novas tecnologias (...) transformou a agricultura e criou abundância alimentícia, debelando uma ameaça concreta de fome em larga escala. Esta obra oferece um detalhado e bem documentado retrospecto de como a humanidade conseguiu contornar uma situação que parecia crítica. Mas o que se necessita agora, conforme o autor, é uma revolução ‘duplamente verde’, que enfatize tanto a produtividade quanto a conservação ambiental. Precisamos ‘planejar’ melhores plantas e animais, desenvolver (ou redescobrir) alternativas para fertilizantes e pesticidas inorgânicos, melhorar o manejo do solo e da água e realçar oportunidades de renda para os economicamente menos favorecidos, especialmente as mulheres.  Tudo isso depende do estabelecimento de parcerias genuínas entre pesquisadores e homens de terreno, que podem oferecer contribuições inestimáveis para a criação e aplicação de novas técnicas (...)”.  O livro foi publicado originalmente em 1997, no Reino Unido.  Comentava então o autor que os próximos 30 anos, ou seja, até 2027, representariam o que ele classifica de “a hora da verdade”.  // Gordon Richard Conway, nascido em 1938, no Reino Unido, é um ecologista, especializado em questões agrícolas, com vasta experiência em programas de desenvolvimento na Ásia e na África.  Foi o criador do Programa de Controle de Pragas, em 1960, e desenvolveu o conceito de agricultura sustentável, nos anos 70. Estudou em três universidades, como a de Cambridge, na Inglaterra,  e a de Davis, na Califórnia. Exerceu inúmeros cargos de destaque, entre os quais o de representante da Fundação Ford, em Nova Déli.  Em 1998, assumiu a presidência da Fundação Rockefeller, em Nova Iorque, cargo em que se encontrava quando da edição da versão brasileira de seu livro.  Em 2004, foi eleito Membro da Royal Society e, em 2007, Membro Honorário da Royal Academy of Engineering.  Exerceu ainda muitas outras funções e recebeu várias distinções.  É ainda autor de diversos livros relacionados à Ecologia e ao meio ambiente. (Ricardo Alfaya)

* Clique sobre as imagens para vê-las com maior nitidez.  Inclusive, para ler os dizeres da quarta capa.


* Você pode comprar por depósito em conta ou transferência bancária. Pedidos: alfayalivreiro@gmail.com